Edvaldo Santana, herói da resistência

Edvaldo Santana nascido e criado na periferia de São Paulo em São Miguel Paulista é cantor e compositor. Na estrada desde o começo dos anos 70, o cantor reparte aqui com a gente suas ideias sobre carreira, saraus e arte. Entrevista por Ayrton Mugnaini Jr.

Fale um pouco sobre teu começo de carreira e a banda Matéria-Prima

Iniciei minha trajetória artística ainda na adolescência, me apresentando em festivais estudantis, salões de igreja, circos. Em 1974 fundei o grupo Caaxió que mais tarde se tornaria Matéria Prima. Nessa época de ditadura militar no Brasil, me apresentei no teatro de Arena e minha banda foi convidada a acompanhar Tom Zé. Em seguida, em 1975, o Matéria Prima gravou seu primeiro  LP e foi lançado nacionalmente pela gravadora Chantecler.

Costumas participar de saraus como o da Maria e Casa Amarela. O que achas desse tipo de evento no geral?

Sarau já foi uma atividade da Elite, hoje é um espaço de manifestação artística muito democrático, onde todos podem mostrar sua arte. Pra mim além de aprender com os participantes, encontrar pessoas é uma forma de divulgar a obra, acho um espaço resultado da democracia, sem preconceito, sem exclusão. Acredito que o Sarau é uma atividade independente, onde todos se manifestam, sem precisar estar vinculado a orgãos públicos ou privados.

Tens muitos discos gravados, desde 1978. Algum plano de relançar toda tua obra, ou o quanto for possível, fisicamente e/ou na internet?

Sim já tenho discos gravados desde 1975, são 4 vinis, 9 cds, 1 fita cassete, mais uma meia duzia de coletãneas. Tem uma boa parte da obra que já está na internet, já pensei em fazer uma caixa com todos os discos, quem sabe uma hora dessas dá certo. Estou lançando um novo cd gravado ao vivo com a banda, tenho planos de lançar ainda esse ano um livro que estou escrevendo sobre o bairro de São Miguel Paulista.

Que disco teu tu tocarias ao vivo na íntegra em um show?

Tenho muito respeito e amor pela obra que desenvolvo, acho que todos os discos que lancei podem ser apresentados na íntegra, desde do primeiro solo Lobo Solitário até o mais recente Só vou chegar mais tarde.

Alguma mensagem para artistas iniciantes?

Não sou de dar conselhos, pois cada um tem suas características próprias, digo sempre que a arte foi fundamental para minha sobrevivencia como ser humano, tenho me esforçado pra me dedicar ao máximo. Uma obra artísitica não pode ficar dependendo das oscilações da bolsa de valores do mercado, liberdade é fundamental para a criação, potenciaiizar as idéias me interessa mais. Seguindo em frente sempre sem deixar de respeitar o que já foi criado por outros artistas 

Assine nossa lista de emails e não perca nenhuma novidade do Clube Caiubi!