Manhã de Cinzas – Fernando Cavallieri e a história de uma doce canção de fim de Carnaval

“No sonho ainda dançam
As cores da Portela.
Lá fora é quarta-feira
E na minha cama o corpo dela.”

MANHÃ DE CINZAS
(Fernando Cavallieri, Zé Edu Camargo e Sonekka)

“Em meados de 2005, eu estava no apto do Zé Edu em Sampa, Butantã, que ficava muito próximo de dois shoppings onde eu me apresentava duas vezes por semana. Um deles, o próprio Shopping Butantã e o outro, o Shopping Taboão da Serra. Bem, como à vezes as duas apresentações ocorriam no mesmo dia, uma na hora do almoço, outra no happy hour, o Zé Edu gentilmente me abria as portas do apto para que eu ali pudesse descansar e esperar a hora entre um evento e outro, mesmo quando ele viajava a trabalho, o que ele fazia muito.
Foi numa dessas ocasiões, em que eu procurava uma caneta ou um papel, não me recordo, no móvel onde ficava seu computador que eu me deparei com uma letra, deixada ali ao acaso e imediatamente vi nascer um samba… Fiz um ajuste ou outro e escrevi para o Sonekka mostrando a letra, quando então ele acrescentou uns versos e assim nasceu essa triceria que logo foi parar no meu 3º CD, “Inefável”, que eu estava, então, a gravar e também fez parte do repertório de um show histórico do Clube Caiubi no Espaço Cachuera, Perdizes – São Paulo –SP, em setembro de 2005.
É isso!”

Fernando Cavallieri, fevereiro de 2018